Análise SWOT

O que seria?

Quando se trata de planejamento estratégico ou ferramentas que te auxiliem no mundo dos negócios, para que sua empresa possa prosperar ainda mais, você com certeza já poderá ter ouvido falar da Análise SWOT, ou também conhecida como FOFA.

Em síntese, podemos vê-la como uma ferramenta utilizada pelo marketing para analisar projetos ainda na fase de planejamento e posicionar-se melhor para a tomada de decisões. O significado de suas siglas vem do inglês e significa: Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats, que traduzindo para o português, respectivamente, ficam: Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaça. Daí o “SWOT” e o “FOFA”.

Alguns registros mostram como sendo criador deste método o consultor de empresas Albert S. Humprey, na década de 60 nos EUA, integrando parte de um projeto de pesquisa em Stanford, patrocinado por grandes empresas da época.

Bem, a utilização da análise SWOT busca categorizar, digamos assim, aspectos de uma empresa, tendo uma visão completa, interna e externa, do que pode ser usado como ponto positivo rumo ao sucesso ou o que pode atrapalhar a caminhada durante o percurso. Basicamente, ao analisar forças e fraquezas é possível perceber alguns pontos que a priori podem ter passado despercebidos e trabalhar em cima disso, uma estratégia que parte da melhoria interna da empresa. Já as oportunidades e ameaças lidam diretamente com as forças exteriores e como as mesmas chegam até você. Então, tendo esse panorama, interno e externo, pode-se tomar decisões mais assertivas em seus projetos.

Identificando os pontos

O ambiente interno de sua empresa você pode controlar diversos aspectos, e assim ter uma expectativa mais próxima da realidade, referente aos seus projetos. É no ambiente interno que você poderá trabalhar com mais agilidade as aplicações de mudanças necessárias para corrigir os pontos fracos do seu negócio. Dentro do ambiente interno, como já citado, temos:

As forças – São os fatores determinantes para a captura da atenção de seus clientes. Aqui serão vistos seus diferenciais, sua capacidade de reposição e oferecimento de produtos/serviços, entre outros.

As fraquezas – Aqui entram as questões internas que prejudicam seu negócio, como os custos em transportes, logística, ferramentas e até mesmo impostos que possam ser reduzidos.

É no ambiente interno que pode-se controlar também todo o capital intelectual da empresa, além de outros aspectos subjetivos que estão além dos quesitos materiais. Separamos aqui alguns aspectos que devem ser analisados com mais atenção no ambiente interno:


> Gestão de projetos

> Cultura organizacional

> Portfólio da empresa

> Relação de demandas, criação/produção

> Atendimento

> Pós-Venda

> Seus ativos

> Acesso à matéria-prima

> Marketing / Mídias

> Localização

> Imagem da marca

> Recursos humanos e financeiros

Já no ambiente externo podemos alocar os aspectos que independem de nossas vontade, ações ou de nossos esforços, são pontos como as taxas de juros, economia, crises ambientais, concorrência, burocracias e coisas do tipo. Nele encaixam-se as oportunidades e ameaças.

Oportunidades – São momentos específicos, em que um dos fatores externos podem ser usados a seu favor e a favor do seu cliente.

Ameaças – É o oposto das oportunidades, justamente quando algum dos fatores externos pode comprometer o seu negócio e afetar o seu cliente.

Por mais que os fatores externos, como o próprio nome sugere, estão um pouco mais distante das atividades exercidas diretamente pela empresa, as oportunidades e ameaças podem ser vistas em uma perspectiva mais ampla como também envolver pontos internos, como o modo de tratamento, conquista e o que é oferecido em relação ao mercado para seus clientes, órgãos reguladores como os sindicatos, seus fornecedores e até mesmo os concorrentes diretos e indiretos.

Como pudemos perceber o ambiente externo é imenso, pois abrange tudo que está fora do alcance da empresa, mas alguns dos pontos interessantes que devemos sempre observar são:

> As atualizações e/ou lançamentos de novas tecnologias que podem influenciar no trabalho.

> Sua matéria-prima. Como está sua relação de oferta/demanda e como está o funcionamento de sua distribuição, principalmente por enfrentarmos um isolamento social e barreiras sanitárias mais rigorosas por conta da pandemia.

> A inflação de produtos e como anda a renda de seu target.

> As leis que impactam seu negócio. Temos como exemplo a nova LGPD, que afetou praticamente todas as empresas presentes no meio online.

> Questão demográficas, como natalidade, escolaridade e hábitos de consumo relacionados à renda.

Suas vantagens

Além de poder alinhar melhor questões internas e deixar mais fluidos os processos do ambiente interno, pode-se tomar decisões mais assertivas ao observar-se o ambiente externo ou pelo menos ter uma noção de como a concorrência está agindo.

Algumas outras vantagens da Análise SWOT que podemos destacar são:

Análise de estratégias – Os gestores podem verificar tanto suas estratégias que estão funcionando, para poder replicá-las futuramente como descartar aquelas que não estão trazendo muito retorno. Uma visão mais imediatista das ações como também uma visão do futuro das mesmas.

> Criação de parcerias – Ao identificar fraquezas ou ameaças é sempre possível estabelecer novos vínculos profissionais para que tais lacunas sejam supridas e o progresso continue. Um exemplo bem prático que podemos usar, é quando um cliente precisa de um serviço que você não oferece, então para não perdê-lo pode-se terceirizar o serviço, oferecendo o que ele precisa para manter o contrato.

> Agilidade nos métodos – Ao mapear seus processos e identificar os pontos citados(o SWOT) podemos categorizá-los de acordo com suas prioridades, focando assim no que é mais importante e alocando as outras demandas de maneira mais inteligente.

> Novos produtos/serviços – É através da análise SWOT que também podemos identificar quando é preciso oferecer novos serviços ou dar aquela repaginada no que já está inserido no mercado.

Como aplicar em sua empresa

Com a Análise SWOT fica mais fácil você tirar as ideias do papel e partir para a prática, aplicando não somente à empresa como um todo, mas servindo também para o desenvolvimento profissional pessoal, podendo ser usada em qualquer tipo de planejamento.

(Caso se interesse pelo assunto, confira o texto que preparamos sobre planejamento)

CLICANDO AQUI)

Servindo como embasamento em seus planejamentos estratégicos, ele lhe possibilita uma gama de benefícios que fazem a diferença, principalmente se sua empresa encontra-se em meio digital, onde há uma maior imprevisibilidade e mudanças constantes. Alguns desses benefícios voltados para o planejamento estratégico são:

> Planejamento para ações alternativas

> Visão mais fidedigna da concorrência

> Decisões mais seguras e embasadas

> Visão realista do cenário de atuação

> Antecipação das tendências.

Com a implementação destas ações é recomendável que a análise SWOT seja realizada constantemente, justamente porque os cenários são mutáveis e o mercado imprevisível. É de extrema importância ter sempre uma pessoa responsável por coordenar esse primeiro passo e diagnosticar sempre que possível quando necessário realizar a análise.

Caso você queira implementar em sua empresa, separamos também os passos que podem te auxiliar:

1 – Realize um BrainStorm com uma equipe

2 – Analise os fatores internos e externos

3 – Monte a matriz

4 – Analise a viabilidade de aplicação de projetos

5 – Adote a análise como estratégia

Então

Vimos então mais uma maneira de desenvolver suas estratégias, e que aplicam-se perfeitamente ao mundo digital, de maneira prática, segura e eficaz. Ao criar o hábito de aplicar suas ações na Análise SWOT você poderá constatar que suas decisões lhe trarão resultados mais expressivos e que você terá mais certeza quando tiver que decidir algo. Ela não demandas muitos custos e pode ser realizada a qualquer momento.

Então, mãos à obra e vamos aplicar essa maravilhosa estratégia em nossas empresas, rumo ao sucesso cada vez mais constante e prazeroso.

0 views0 comments